Sobre o Autor

Quem é Jonas Ribeiro?

Formado em Língua e Literatura Portuguesas pela PUC-SP. Formado pelos tantos livros que leu por prazer em bibliotecas públicas ou que garimpou em livrarias. Vive inventando um jeito de aproximar as pessoas dos livros. Visitou um bocado de escolas e escreveu uma pilha de livros. Atualmente, está empenhado em preservar os amigos cúmplices. Prefere as redes de balanço às redes sociais. O Jonas estuda piano, ternura e bobeira espontânea.


  • Ir à praia para conversar com o mar;
  • Ficar na varanda deitado na rede (lendo ou pensando nos livros que está escrevendo);
  • Tomar banho de piscina e banheira;
  • Dormir e acordar cedo, tomar café da manhã com seus pais, conversar longamente com os seus amigos cúmplices;
  • Escrever livro à mão, e se possível sem prazo para terminar, curtindo cada frase, cada palavra, cada decisão.
  • Quando adolescente, teve a ideia de visitar os hospitais com um baú. Nele, colocava livros, fantoches, marionetes e lenços coloridos. A ideia cresceu. Chegou a ter mais de trinta baús. Para realizar as visitas hospitalares, colocava suspensório, gravata-borboleta, um girassol na camisa, um relógio de bolso e ia. Ele e o baú;
  • Conheceu o astrofísico Mikhail Uskhabellus pessoalmente e o hospedou por diversas vezes em sua casa;
  • Deu aula de redação. Chegou a dar aula de sunga, fraque ou fantasiado de astronauta e feiticeiro.
  • Cores: amarelo, branco, cores claras;
  • Prefere a rede de balanço à rede virtual;
  • Gêneros literários: comédia, romance, poesia;
  • Cantores: Frank Sinatra, Michael Bublé, Jorge Vercillo, Beto Guedes, Tom Jobim, Djavan, Toquinho, Sidney Magal (para quem dedicou o livro O baile das caveiras), Lulu Santos, Fagner, Ivan Lins;
  • Cantoras: Maria Bethânia, Marisa Monte, Zizi Possi, Vanessa da Mata, Ana Carolina, Adriana Calcanhotto, Fátima Guedes, Vânia Bastos;
  • Música clássica: Heitor Villa-Lobos, Chopin, Beethoven, Mozart, Bach, Rachmaninov, Brahms;
  • Bandas: Skank, Roupa Nova, Legião Urbana, Jota Quest, Queen;
  • Filmes: Cinema Paradiso, A lista de Schindler, A vida é bela, Amelie Poulain, O Pianista, A lenda do pianista do mar, Em algum lugar do passado, As pontes de Madison e 588 Rua Paraíso;
  • Lugares que quer conhecer: Londres, México, Peru;
  • Lugares que conheceu e onde moraria tranquilamente: Brasília (DF), Ubatuba (SP), Porto Alegre (RS), Barcelona (Espanha), Paris (França), Venezia e Cortona (Itália)
  • Presente que adora ganhar: orquídeas.
  • Contribuir para o Brasil tornar-se um país leitor;
  • Conhecer Machu Picchu, Londres, Fernando de Noronha e Abrolhos;
  • Ter um piano ¼ de cauda, Yamaha, preto;
  • Retomar projetos sociais e um dia tocar piano em público.
Browser-window-2

Livros, Escritores, Poetas e Ilustradores do Coração

Senti vontade de fazer uma lista dos livros infantis, juvenis e adultos que tiraram meus pés do chão, e também de meus escritores, poetas e ilustradores preferidos. Em ordem alfabética.

  • Amaro (Antônio Schimeneck, Callis);
  • Amigos do peito (Cláudio Thebas, Formato);
  • Ana, Guto e o Gato Dançarino (Stephen Michael King, Brinque-Book);
  • Aquecimento global não dá rima com legal (César Obeid, Moderna);
  • A fiandeira (Marciano Vasques, Suinara);
  • A ponte (Eliandro Rocha, Callis);
  • A professora encantadora (Márcio Vassallo, Abacatte);
  • Draguinho (Claudio Galperin, Ática);
  • O homem que amava caixas (Stephen Michael King, Brinque-Book);
  • Os invisíveis (Tino Freitas, Casa da Palavra);
  • O navio (Iris Borges, inédito);
  • O paradeiro do padeiro (Marco Miranda, Elementar);
  • O Reizinho e o espelho (Claudia Lins, Mundo Leitura);
  • Mania de explicação (Adriana Falcão, Salamandra);
  • Margarida (André Neves, Abacatte);
  • Não é fácil, pequeno esquilo (Elisa Ramón, Callis);
  • Nós (Eva Furnari, Global);
  • Pingo (Vera Lúcia Dias, Elementar).
  • Atrás do olho fechado (Alessandra Roscoe, Callis);
  • A cama (Lygia Bojunga, Casa Lygia Bojunga);
  • Barco branco em mar azul (Werner Zotz, Letras Brasileiras);
  • Entre silêncios e gestos (Marcos Arthur, Brasil);
  • Ioiô (Belise Mofeoli, Paulus);
  • Longe como o meu querer (Marina Colasanti, Ática);
  • Mururu no Amazonas (Flávia Lins e Silva, Manati);
  • O rei maluco e a rainha mais ainda (Fernanda Lopes de Almeida, Ática);
  • Ouro dentro da cabeça (Maria Valéria Rezende, Autêntica);
  • Pão feito em casa (Rosana Rios, BesouroBox);
  • Retratos de Carolina (Lygia Bojunga, Casa Lygia Bojunga);
  • Rosinha, minha canoa (José Mauro de Vasconcelos, Melhoramentos);
  • Sapato de salto (Lygia Bojunga, Casa Lygia Bojunga);
  • Sem fôlego (Brian Selznick, SM);
  • Simpi & o desafio do dragão (Flávia Savary,Autêntica);
  • Trezentos parafusos a menos (Ricardo Azevedo, Companhia das Letrinhas).
  • A arte de ouvir o coração (Jan-Philipp Sendker, Paralela);
  • A distância entre nós (Thrity Umrigar, Nova Fronteira);
  • Olhai os lírios do campo (Erico Veríssimo, Companhia das Letras);
  • O fio das missangas (Mia Couto, Companhia das Letras);
  • Os catadores de conchas (Rosamunde Pilcher, Bertrand Brasil);
  • O velho e o mar (Ernest Hemingway, Bertrand Brasil);
  • O voo da guará vermelha (Maria Valéria Rezende, Objetiva);
  • São Bernardo (Graciliano Ramos, Record).
    • Belise Mofeoli;
    • Eliandro Rocha;
    • Eva Furnari;
    • José Mauro de Vasconcelos;
    • Lygia Bojunga;
    • Márcio Vassallo;
    • Marina Colasanti;
    • Sérgio Sant´Anna;
    • Stephen Michael King;
    • Cecília;
    • Cora;
    • Drummond;
    • Elias José;
    • Leo Cunha;
    • Manoel de Barros;
    • Roseana Murray;
    • Sérgio Capparelli;
    • Quintana.
    • Amanda Freitas;
    • André Neves;
    • Bill Borges;
    • Biry Sarkis;
    • Claudia Cascarelli;
    • Elizabeth Teixeira;
    • Eva Furnari;
    • Helena Alexandrino;
    • Luiz Maia;
    • Marco Antonio Godoy;
    • Márcia Széliga;
    • Mariana Massarani;
    • Mateus Rios;
    • Meri;
    • Odilon Moraes;
    • Roger Mello;
    • Romont Willy;
    • Sami Ribeiro;
    • Semíramis Paterno;
    • Simone Matias;
    • Veruschka Guerra;
    • Victor Tavares.

    Trajetória Profissional

    O Jonas soube na adolescência que gostaria de se tornar escritor, viver para a literatura, de literatura. Aos 16 anos de idade, passou a escrever com disciplina, regularidade. Levou um baita tempo para a roda girar, mas valeu a pena, seus dois primeiros livros saíram quando estava com 26 anos. Justamente por isso, na época de prestar vestibular, nem pensou duas vezes quando escolheu um curso ligado ao mundo dos livros. Fez Letras/Português, na PUC-SP.

    Também fez teatro, contou histórias em hospitais públicos, vendeu palmito, lecionou Redação, trabalhou em instituições bancárias, mas foi no livro onde encontrou sua profissão, a satisfação de realizar um trabalho significativo.

    Em 2011, lançou seu centésimo livro. Atualmente, além de escrever e visitar escolas, estuda piano. Entre seus livros publicados, destacam-se: Palavra de filho; Silencio de filha; Alfabético; Os bolos gigantes; Uma ilha a mil milhas daqui; E algo aconteceu naquele dia... (Brasil); Faniquito e siricutico no mosquito; A bicicleta voadora; A orquestra dos músicos de Bremen; Filhonstrengo Fifongo e a chave preciosa; O carrinho movido a carinho (Elementar); Bruxa Cremilda e a máquina de fazer dinheiro; Bruxa Cremilda e a máquina de emagrecer; O teimoso trenzinho curioso; Quer conhecer minha casa?; O baile das caveiras (Franco); A família mais rica do mundo; O que não tem preço (Mais Ativos); Quatro porquinhos e um livro; Dança na praça (Suinara); O barquinho e o marinheiro; O mundo de cabeça pra baixo (Cortez); O esconderijo das vontades; O abacateiro bagunceiro (Callis); Gente que mora dentro da gente; Gavetas (Dimensão); Óculos de biscoito; João, Maria e o caminho (Paulus); Há um sol na solidão de Eduarda (Abacatte); O estrangeiro no espelho (Ideias & Letras).





    Eis como foi produzido o livro Alfabético – Almanaque do Alfabeto Poético...



    Galeria de Imagens