Blog

Bullying, algumas dicas para evitar que o seu filho também faça

Bullying, algumas dicas para evitar que o seu filho também faça

A escola não consegue combater o bullying sozinha. Dentro de casa, pequenas atitudes, aplicadas ao cotidiano da criança podem evitar que naturalizem a violência, seja ela física ou verbal. É de grande importância que os pais comecem a identificar os sintomas para evitar que a criança se torne um agressor no futuro.

 

Identificar onde começa não é tarefa fácil, o fato é que o bullying é um ciclo complexo que envolve o contexto social e familiar do praticante, ressoa no ambiente escolar e de convívio, podendo causar danos irreparáveis à criança.

 

Devemos levar em conta que é na infância que o indivíduo forma as suas referências de respeito, tolerância e alternidade. Para isso é necessário mantermos sempre aberto um canal para o diálogo, para que possam falar sobre suas aflições e problemas, principalmente os assuntos considerados demasiadamente delicados e difícil de se falar, tais como sexualidade, por exemplo.

 

Portanto, um trabalho integrado envolvendo toda a comunidade escolar – coordenadores, professores, funcionários, estudantes – e a família é o primeiro passo para combatê-lo.

 

1. Não precisa bater e nem ofender todo mundo para provar a sua força.

Forte é aquele que protege as pessoas mais indefesas. A força está em aceitar as diferenças dos outros sendo amigo delas.

 

2. Apelidar alguém não é legal.

Só chame alguém pelo apelido se esta pessoa permitir, afinal, cada um tem um nome, e devemos ser chamados por ele e não por um apelido desagradável.

 

3. Todos nós somos diferentes uns dos outros, com defeitos e qualidades.

Ser diferente não quer dizer que seja algo ruim. Aprenda a identificar e apreciar as qualidades das pessoas. Imagine que chatice seria se todos fossem uns iguais aos outros?

 

4. Aprenda a elogiar as pessoas.  É muito bacana receber um elogio, não acha?

Melhore o seu dia e o dia das pessoas ao seu redor. Se você notou algo legal que alguém fez, elogie. Você vai ver como esta pessoa ficará feliz e passará a te ver com outros olhos.


5. Falando novamente em apelidos, tente não rir do apelido do seu colega.

Esse tipo de brincadeira só encoraja ainda mais o agressor, e você acaba mostrando que está ficando do lado dele.

 

6. Procure tratar bem e ser amigo daquele colega excluído da turma.

Em primeiro lugar, coloque-se no lugar do outro. É muito chato não ter com quem conversar e se sentir o “patinho feio” da turma. Quem sabe, puxando uma conversa, vocês não tem algum interesse em comum?

 

7. Se você foi ofendido ou recebeu um apelido chato do seu colega, não retribua na mesma moeda.

Conte para o seu professor ou professora o que aconteceu. Eles irão saber como lidar com essa situação.

 

8. Os professores são nossos amigos.

Converse com os seus professores, você poderá encontrar nele um amigo para toda uma vida.

 

9. Você não precisa ser outra pessoa somente para ser aceito por um grupo.

As pessoas que realmente te amam são aquelas que gostam de você como é.

 

10. Como você quer ser lembrado na sua escola?

Será muito melhor ser lembrado por ser um aluno legal do que ser o encrenqueiro da escola. Ser admirado por ser gentil, educado e atencioso com as pessoas lhe trará muitas amizades. Há certas atitudes que mostram maturidade e sensibilidade, apreciadas por várias pessoas.

 

Sozinha, a escola não consegue combater o bullying. Em casa, pequenas atitudes podem evitar que as crianças naturalizem a violência, seja ela física ou verbal.

Comentários

Deixe o seu Comentário